Enfim a oportunidade de ter seu próprio chegou e agora você se depara com uma dúvida cruel: ter ou não sócio? Pois é, enquanto para uns a sociedade pode significar segurança, para outros pode ser sinônimo de dor de cabeça. A verdade é que há prós e contras nessa relação, os quais devem ser muito bem pensados em relação a vários fatores, como o papel e a parcela de cada um; o grau de envolvimento, de expectativas e de afinidades; e até o temperamento – o seu mesmo, por exemplo.

Afinal, pode-se dizer que a sociedade é uma forma de casamento (ou será o contrário?) e que casamento é difícil, isso ninguém discute. Mais do que um ombro amigo na hora das dificuldades, o sócio pode acumular vários papéis inesperados, inclusive aquele de puxar a sua orelha em uma decisão errada, de discordar daquilo que você tem certeza ou de pular fora quando você menos espera. Não vale a pena colocar prós e contras na balança?

Untitled design (87)

Precisa mesmo de sócio? Então coloque tudo na balança

E, assim como em um casamento, há vários motivos também para uma sociedade ser formada. Pode ser porque ele tem o conhecimento técnico que você precisa, porque ele participou da concepção da empresa ou porque tem o suporte financeiro que você necessita, por exemplo. De uma forma ou de outra, o assunto é sério, tão sério que os especialistas do Sebrae recomendam ter sócio em última instância – até porque para cada situação há sempre uma alternativa. Mas isso é assunto para outro post, agora é a hora de você colocar tudo na balança para tomar a sua decisão.

Prós

Quando as aptidões se complementam, um supre o déficit que o outro tem em determinada área. Por exemplo, de você é bom em vendas e ele em finanças, a parceria é lucrativa. É quando os interesses são comuns e ambos trabalham com o mesmo afinco, ainda que em áreas diferentes, para que a empresa cresça.

Os investimentos financeiros também podem ser maiores, proporcionando mais oportunidades de crescimento para a empresa. Pensando pelo mesmo caminho, se as coisas não forem muito bem o prejuízo é dividido também, não ficando nos ombros de uma única pessoa. Por outro lado, passa a haver a obrigação de um controle financeiro mias rígido para que os resultados sejam mostrados com mais exatidão. Isso é bom para a saúde financeira do empreendimento.

Contras

Mas e quando um dedica-se mais do que o outro em prol da empresa? Essa é uma situação complicada e infelizmente muito comum e que pode gerar vários conflitos. É o caso, também, de ideias diferentes sobre o futuro do empreendimento, os rumos a seguir.

Claro que tudo deve ser muito bem colocado logo na fase de implantação, no planejamento, mas é sempre bom lembrar que todo negócio começa com entusiasmo. Fora isso, a retirada dos lucros parciais também é dobrado, claro, isso pode gerar incertezas e insegurança quanto ao suporte financeiro, já que provavelmente serão pequenos no início.

Duas cabeças pensam melhor do que uma – mas só se estiverem em sintonia

Ideia original e atraente, mecanismos perfeitos de atração de clientes, marketing digital na ponta dos dedos, produto de ótima aceitação no mercado, mas mesmo assim a empresa não deslancha. Onde parece estar tudo certo pode haver um (grande) problema que muitas vezes não se quer enxergar: a falta de sintonia entre os sócios.

Ideias diferentes podem levar a soluções criativas, claro, mas também a conflitos desnecessários que se refletem na saúde empresarial. Por isso, se você se decidir pela sociedade, a escolha do sócio deve ser criteriosa e muito bem pensada. Vocês devem ter a mesma visão e também compartilhar ideias sobre o desenvolvimento da empresa, porque hoje o mercado não tem mais espaço para quem continua pensando dentro da caixa.

Com ou sem sócio, inovação é a chave do sucesso

É preciso ter em mente que atualmente a inovação é o fator fundamental das empresas bem sucedidas. É preciso ter um diferencial para se destacar entre a concorrência, para conquistar novos clientes e manter os antigos bem pertinho de você – e satisfeitos, claro. Hoje várias empresas dedicam-se a oferecer soluções inovadoras para que outras façam diferença no mercado. É o caso dos sistemas de fidelização de clientes, por exemplo, um diferencial que aproxima o seu público alvo de forma fácil, rápida, intuitiva e divertida, como o FideliZi, uma solução completa que gera resultados instantâneos, aumentando a frequência de visitas e gastos em seu estabelecimento.

É o tipo de visão, por exemplo, que o seu sócio deve ter para que empreendimento não seja sufocado pela concorrência. Manter a sintonia de expectativas tomando decisões assertivas para evitar conflitos aumentando os resultados pode não ser sempre fácil, mas também não é impossível.

O Sebrae Up, por exemplo, realiza palestras sobre o assunto regularmente: a última de 2015 foi no dia 4 de novembro no Espírito Santo, mas é sempre bom ficar ligado ao calendário de eventos no seu estado porque informação nunca é demais. E assim você se prepara – e ao seu sócio – para olhar sempre para o futuro, mantendo o foco nas ferramentas inovadoras que podem deslanchar a sua empresa.

Quer saber mais sobre a fidelização de clientes de forma divertida e eficiente? Conheça a FideliZi e veja como pode ser fácil se destacar no mercado!

programa-de-fidelidade-para-pequenas-empresas

Comentários

comentários