Apesar de cada vez mais comuns nos mais diferentes tipos desde estabelecimentos comerciais, os programas de fidelidade ainda são vistos com resistência por parte de alguns empreendedores. A maior parte das justificativas para tal tem como base, porém, mitos sobre estes programas, que não correspondem à forma com que vêm se desenvolvendo como aspecto essencial do relacionamento com clientes. É comum que os programas de fidelização sejam vistos apenas pela ótica das vantagens que oferecem aos clientes, ou considerados muito trabalhosos. Você acha que a sua empresa não precisa de um programa de fidelidade? Confira alguns mitos sobre a fidelização de clientes, e não seja enganado.

cliente (3)

1. Programas de fidelidade = oferecer brindes gratuitamente

As recompensas oferecidas aos clientes que participam de um programa de fidelidade são uma forma de incentivá-los a retornarem ao estabelecimento com maior frequência e consumir mais do que fariam caso não fizessem parte do programa. Assim, é importante que o empreendedor fuja da visão de que adotar um programa de fidelidade significa oferecer produtos gratuitamente. Pelo contrário, os programas são uma forma de engajar o cliente em um sistema de pontuação, interagindo com o estabelecimento e aumentando seu ticket. As recompensas podem ser utilizadas, ainda, para a incentivar a participação em pesquisas de satisfação, que contribuem para que o empreendedor conheça melhor o público do seu negócio.

2. Mensagens e e-mails de marketing incomodam os clientes

Diferentemente do que se pensa, a grande maioria dos consumidores deseja, sim, receber notícias e informações sobre as marcas e estabelecimentos dos quais participa do programa de fidelidade, uma vez que o fazem exatamente por se identificar de alguma forma com estes. Este tipo de comunicação com seus clientes fiéis é uma excelente forma de divulgar novos produtos, promoções e campanhas de marketing, incentivando-os a visitar o estabelecimento e conhecer estas ações. Os programas de fidelidade garantem, assim, que o empreendedor possa entrar em contato com seu público, apresentando novidades e divulgando seu negócio.

3. Programas de fidelidade funcionam por si só

Muito pelo contrário: programas de fidelidade são uma estratégia que requer do empreendedor esforços para garantir sua continuidade. Um dos grandes erros com relação a estes é entende-los como campanhas promocionais, de forma que é importante ter clareza com relação aos objetivos a serem atingidos com esta estratégia, e investir em delineá-la de acordo com os valores da empresa, trabalhando em elementos como a experiência de compra, o treinamento da equipe, a oferta de serviços exclusivos e personalizados e o relacionamento diferenciado com o público. Além disso, estes programas devem ter acompanhamento constante por parte do empreendedor, de forma a identificar os pontos de sucesso e aqueles que ainda devem ser aperfeiçoados.

4. Programas de fidelidade envolvem cartões de pontos

O cartão de pontos é uma das formas mais tradicionais de implementação de um programa de fidelidade. É importante, porém, que o programa seja desenvolvido de acordo com o público que visa atingir. O mercado oferece atualmente opções de softwares e aplicativos para programas de fidelidade, que permitem ao empreendedor automatizar os processos de comunicação e acompanhamento deste, além de oferecer ao cliente soluções mais interativas.

O FideliZi é um sistema que substitui o tradicional cartão fidelidade, oferecendo ao cliente uma interface simples e divertida, com a qual este interage no próprio estabelecimento. O sistema FideliZi contribui ainda para que o empreendedor tenha controle do andamento do programa, e identifique as melhorias que podem ser realizadas, gerando dados e relatórios sobre. Conheça mais sobre o FideliZi, e não deixe de entrar em contato para uma consultoria personalizada!

Você já ouviu estes mitos sobre programas de fidelidade? Compartilhe suas experiências com a gente nos comentários!

programa-de-fidelidade-para-pequenas-empresas

Comentários

comentários